Dom Guilherme concede entrevista coletiva sobre os impactos da Mineração

O presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Guilherme Werlang, concede entrevista coletiva à imprensa, nesta sexta-feira, dia 5, às 11h, no Centro Cultural de Brasília (CCB), na 601 Norte,  sobre o Encontro Latino-Americano “Igrejas e Mineração: uma opção em defesa de comunidades e territórios”. O evento, que reúne mais de 90 pessoas de diferentes denominações religiosas e de organizações da sociedade civil de 13 países do continente, teve início na terça-feira, 2, e seguirá até sábado, 6. O objetivo é planejar estratégias de enfrentamento aos desafios relacionados aos megaempreendimentos de mineração.  A representante do Conselho Latino-Americano de Igrejas (CLAI) e integrante do Comitê Nacional dos Territórios Frente à Mineração, Moema Miranda, também participará da entrevista coletiva.

 Os participantes do encontro Igrejas e Mineração partilham a realidade de conflitos provocados pelas empresas de mineração na América-Latina. A partir das experiências relatadas, serão buscadas alternativas ao modelo extrativista de desenvolvimento. O intuito é fortalecer a articulação entre as comunidades eclesiais que enfrentam os impactos socioambientais da mineração, como os casos de violações dos direitos humanos e os danos irreversíveis a ecossistemas, comunidades e entornos sociais nos quais a atividade é desenvolvida.

O membro do Observatório de Conflitos de Mineração da América Latina, Cesar Padilla, apresentou dados de conflitos provocados pela mineração na região e comentou a nova postura das comunidades diante de propostas extrativistas. “Os minerais na terra estão acabando, já não encontram minas com tantos minerais, o ouro, por exemplo significa extrair 0,2g por tonelada, a mineração está enfrentando hoje problemas econômicos. Um dos temas que mais nos chamam atenção é que cada vez há mais oposição das comunidades, as que têm atividade de mineração não a querem mais, e as que não têm, não querem ter”, contou. Padilla disse que atualmente estão registrados 211 conflitos relacionados à exploração mineral.

Empresas e governos foram citados como responsáveis pela situação de conflitos e impactos ligados à mineração. No Brasil, está em tramitação no Congresso Nacional o projeto de um novo Código de Mineração conduzido por parlamentares com interesse econômico na atividade.

Além de fortalecer a articulação de igrejas e movimentos sociais, o encontro visa incentivar a formação de espaços de diálogo entre esses grupos sobre os temas ligados à mineração e aos impactos socioambientais, por exemplo.

Encontro

O encontro conta com o apoio da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz da CNBB e a participação do Conselho Latino-americano das Igrejas (CLAI). O evento conta com a presença de leigos, leigas, religiosas e religiosos e movimentos sociais envolvidos ativamente na denúncia dos impactos da mineração nos territórios.

 

 

 

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This