Seminário das novas comunidades debate desafios para a comunhão eclesial

 

Terminou neste domingo, 27, na Casa de Retiro Jesus Crucificado, em Goiânia (GO), o seminário sobre novas comunidades, que discutiu os desafios para a comunhão eclesial. O evento, que começou na sexta-feira, 25, reuniu 46 pessoas, entre fundadores, moderadores, co-fundadores e representantes de 13 Novas Comunidades.

SeminrioNovasComunidades4Participaram do seminário as comunidades Face de Cristo, Sementes do Verbo, Nova Aliança, Palavra Viva, Aliança de Misericórdia, Obra de Maria, Canção Nova, Bom Pastor, Mar a Dentro, Arca da Aliança, Shalom, Doce Mãe de Deus, Pantokrator e Comunidade de Jesus.

Luzia Santiago, cofundadora da comunidade Canção Nova, enfatizou a surpresa com que recebeu o convite para o evento. “Sempre foi um anseio não só da Canção Nova, mas das demais comunidades por este diálogo com as Comissões da CNBB”, disse. “Espero que este seminário possa ser um momento para que nos deixemos conhecer, nos revelar, porque é somente conhecendo que se ama e assim podermos trabalhar mais pela evangelização do Brasil”, acrescentou.
SeminrioNovasComunidades5
Já para Ir. Maria Angélica, da Comunidade Sementes do Verbo, fundada em 2004 na Arquidiocese de Palmas (TO), cujo carisma é “viver a Palavra e anunciar a Palavra”, recebeu o convite para participar deste encontro como uma “ação de graças”. Para ela, o seminário foi “um chamado para a comunhão, pois na Casa de Deus, que é nossa mãe Igreja, há muitas moradas, cada uma com uma cor, com um formato, mas formamos uma única Igreja”.

O assessor teológico das Conferência Nacional dos Religiosos (CRB), padre Márcio Fabri dos Anjos, disse que a apresentação de cada uma das Novas Comunidades revelou “uma espiritualidade que busca um sentido forte de vida para si próprio, não somente de forma isolada, mas também comunicativa, envolvente, eixo da relação e da alegria com um jeito de vida moderna e pós-moderna simultaneamente”.

“Existem dois inegáveis interlocutores persistentes nestas experiências: os jovens e os pobres. As Novas Comunidades resgatam o amor aos jovens e aos pobres e mostram uma face de compromisso com a mensagem cristã. Há, de fato, um desejo para se chegar aos pobres e aos jovens com uma mensagem de libertação”, observou.

Três questões marcaram a discussão dos participantes: qual a relação das Novas Comunidades com a Igreja diocesana? Quais desafios e dificuldades das Novas Comunidades hoje? O que esperam deste diálogo com a CNBB? Além disso, houve uma conferência do assessor teológico e membro da Comunidade Canção Nova, padre Wagner Ferreira da Silva, sobre a relação entre as Novas Comunidades e as Igrejas locais diocesanas.

Além dos representantes das Novas Comunidades, participaram do seminário os bispos dom Celso Queirós (bispos emérito de Catanduvas-SP), dom Eduardo Pinheiro (auxiliar de Campo Grande-MS); dom Esmeraldo Barreto de Farias (Santarém-PA); dom Bernardino Marchió (Caruaru-PE), dom Antônio Carlos Altieri (Caraguatatuba-SP); Irmã Cleonice Castro, da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB); Helena Paludo, da Conferência Nacional dos Institutos Seculares (CNIS); Laudelino Augusto, presidente do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB); padre Márcio Fabri dos Anjos, assessor teológico da CRB; padre Reginaldo Lima, assessor da Comissão Episcopal pastoral para os Ministérios Ordenados e Vida Consagrada da CNBB, e os três assessores da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato, padre Carlos Sávio (Setor Juventude), Prof. Geraldo Aguiar (Setor Leigos) e Prof. Sérgio Coutinho (Setor CEBs).

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This