Solidariedade aos reféns em Centro de Detenção Provisória, em Taubaté

A Pastoral Carcerária divulgou nota sobre a rebelião no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Taubaté (SP), iniciada na última quarta-feira, 8 de agosto. No texto, a Pastoral esclarece que os religiosos mantidos como reféns não são seus agentes, mas membros de outras denominações cristãs. E se solidariza “com seus irmãos que estão dentro do CDP, e ora pela segurança e bem estar deles”.

“Frente às mazelas do sistema carcerário, a Pastoral reafirma a sua defesa de uma profunda diminuição da população carcerária no Estado de São Paulo e no Brasil, norteada por seus princípios”, afirma no texto.

Leia na íntegra:

A Pastoral Carcerária vem a público esclarecer que nenhum de seus agentes está mantido como refém na rebelião do CDP de Taubaté, que teve início nesta quarta-feira (08).

A informação inicialmente divulgada para a imprensa pelos canais oficiais do Estado, em especial a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) era de que 12 agentes da PCr estavam na unidade, o que não era verdade: mais tarde a SAP confirmou que membros das igrejas Deus é Amor’, Cristo é Luz é Vida’, Capelania de Taubaté e Assembleia de Deus estão dentro do CDP.

A Pastoral Carcerária se solidariza com seus irmãos que estão dentro do CDP, e ora pela segurança e bem estar deles.

É importante ressaltar que um órgão oficial do governo divulgar uma informação para diversos veículos de imprensa, sem ao menos checar sua veracidade com as coordenações diocesanas ou estaduais da Pastoral Carcerária, foi uma grande irresponsabilidade, que apenas gerou mais confusão em torno do que está ocorrendo de fato na rebelião. A informação só foi corrigida horas depois, após a Pastoral Carcerária afirmar à diversos jornais e sites que procuraram um posicionamento que a informação não era verdadeira.

Pedimos encarecidamente aos veículos de imprensa que receberam esta informação inicial que atualizem suas reportagens com os fatos corretos.

Frente às mazelas do sistema carcerário, a Pastoral reafirma a sua defesa de uma profunda diminuição da população carcerária no Estado de São Paulo e no Brasil, norteada por seus princípios.

Pastoral Carcerária Nacional

Pastoral Carcerária do Estado de São Paulo

Pastoral Carcerária da Arquidiocese de São Paulo

Share This