No dia 31/1 encerra-se o prazo para inscrições aos Prêmios de Comunicação da CNBB

Dia 31 de janeiro será o prazo final para as inscrições aos cinco prêmios que a CNBB oferece: Margarida de Prata (prêmio de Cinema), Microfone de Prata (prêmio de Rádio), Clara de Assis (prêmio de TV), dom Helder Câmara (prêmio de Imprensa) e dom Luciano Mendes de Almeida (prêmio de internet).

Os comunicadores estão sendo convidados a participar dessa iniciativa desde o início do mês de setembro de 2017. Este ano, a Conferência facilitou o processo de inscrição. Por meio de uma parceria feita entre a Comissão Episcopal de Comunicação e a Agência GBA, de São Paulo, o candidato pode fazer tudo online, isto é, pode dar as autorizações, fazer o termo de compromisso de participação, cadastrar-se e enviar link ou fazer upload do material a ser apreciado pelos júris da CNBB. É tudo simples e o acesso é realizado clicando no banner que está na site oficial da CNBB ou diretamente no hotsite: http://premioscomunicacao.cnbb.org.br/.

Esclarecimento aos inscritos com matéria jornalística

O ritmo das inscrições é considerado positivo pela coordenação da iniciativa.”Este ano, a possibilidade de fazer a inscrição online aumentou muito as possibilidades de participação e até agora temos recebido material de muita qualidade e de diversas partes do país“, diz o assessor da Comissão Episcopal para a Comunicação da CNBB, P. Rafael Vieira. Ele também informa que será uma feita, automaticamente, uma correção em todas as inscrições que enviaram matéria jornalísticas para o prêmio de Internet. “Na verdade, as pessoas ainda não tiveram a possibilidade de ver com maior clareza que uma matéria jornalistica publicada na internet não pode ser candidata ao prêmio dom Luciano Mendes de Almeida, mas deve ser apresentada ao prêmio de Imprensa, o dom Helder Câmara“, esclarece.

os candidatos não precisam se preocupar com o fato de terem inscrito no prêmio de internet, as inscrições deles serão automaticamente passadas para o prêmio dom Helder Câmara

O prêmio dom Luciano Mendes de Almeida, criado no ano passado, por ocasião do cinquentenário dos prêmios de comunicação da CNBB, contempla, na verdade, três categorias: portal, sites e blogs (não o conteúdos – como é o caso das matérias jornalísticas – mas, a estrutura, o conceito, a concepção); iniciativas em redes sociais (a proposta, o uso de cada uma das redes, a criatividade das iniciativas) e aplicativos. Portanto, matérias jornalísticas publicadas na internet não se enquadram nesses critérios. “os candidatos não precisam se preocupar com o fato de terem inscrito no prêmio de internet, as inscrições deles serão automaticamente passadas para o prêmio dom Helder Câmara“, reforça P. Rafael.

Grande Mídia

P. Rafael informa também que este ano há uma significativa participação da chamada Grande Mídia. “Grandes jornais e redes de Televisão do Brasil apresentaram  candidaturas aos prêmios da CNBB e isso significa, ainda mais, que o prestígio da Conferência tem despertado também profissionais e empresas de comunicação que atuam no mundo fora das emissoras e veículos dos católicos”, informa. “Esse fato merece destaque porque os bispos, desde o momento em que criaram os prêmios, manifestaram interesse e disposição de observar, reconhecer e destacar não apenas os trabalhos feitos no âmbito eclesial mas também nos espaços laicos onde os valores humanos e cristãos têm sido destacados“, diz P. Rafael.

Dom Darci José Nicioli, arcebispo de Diamantina, em Minas, e presidente da nossa Comissão tem sido insistente na expressão ‘corpo evangelizador’. Ele considera que todos nós, a partir do lugar que vivemos e atuamos, temos uma responsabilidade com a grande missão evangelizadora da Igreja“, informa P. Rafael. E, segundo o assessor, o presidente da Comissão está pessoalmente empenhado em acompanhar o movimento das inscrições e pediu que a campanha de divulgação dos prêmios desse um acento especial aos projetos da Pastoral da Comunicação em todo o Brasil.

Júri dos especialistas

Logo que terminarem as inscrições, os trabalhos concorrentes aos prêmios de comunicação da CNBB serão levados a cinco grupos de especialistas para a primeira avaliação. Professores de quatro grandes universidades católicas (PU Rio, PUC Goiás, Católica de Salvador e Católica de Brasília) e um grupo de especialistas em radiodifusão da Signis Brasil e da Rede Católica de Rádio (RCR) terão a responsabilidade de selecionar três finalistas em cada categoria e enviar à Comissão da CNBB.

os trabalhos concorrentes aos prêmios de comunicação da CNBB serão levados a cinco grupos de especialistas para a primeira avaliação.

Professores da área de Cinema vão analisar os trabalhos do Margarida de Prata, prêmio mais antigo da CNBB. Professores de jornalismo analisam os candidatos aos prêmio dom Helder Câmara e também os inscritos no prêmio Clara de Assis. E, por fim, professores da área de Tecnologia da Informação analisam as candidatura ao prêmio dom Luciano Mendes de Almeida. O único grupo de especialistas que não está ligado a uma universidade é aquele que julga os trabalhos do prêmio Microfone de Prata, no entanto, é composto por especialistas na área e ouvintes que acompanham programação de Rádio.

Júri dos bispos

Nomeados pelo Consep, conselho pastoral da Conferência, cinco bispos são os responsáveis de escolher os ganhadores de todas as categorias. O critério fundamental que eles utilizarão é o mesmo que os especialistas obedecem: trabalhos que destaquem valores humanos e cristãos, mas, obviamente, sem a preocupação com as questões técnicas  uma vez que estas serão rigorosamente aferidas pelos especialistas, os bispos podem verificar aspectos mais profundos das obras e observar o contexto cultural onde foram produzidos além da edificação humana e espiritual que esses trabalhos podem proporcionar.

os bispos podem verificar aspectos mais profundos das obras e observar o contexto cultural onde foram produzidos

O Júri dos bispos deve ser realizado no mês de maio por ocasião de uma reunião ordinária do Consep, em Brasília. A organização dos prêmios pretende entregar os finalistas aos bispos em tempo hábil para que possam analisar com calma cada uma das propostas. “O trabalho que cada um dos bispos que são membros do Júri dos prêmios tem em suas dioceses é enorme e toma o tempo inteiro deles, por conta disso, quanto mais cedo tivermos a decisão dos especialistas sobre os finalistas, melhor para o trabalho dos bispos“, lembra P. Rafael.

Menções Honrosas

Segundo Estatuto/Regulamento dos prêmios de comunicação da CNBB, é de competência da Comissão de Comunicação a escolha de pessoas e trabalhos para receberem uma menção honrosa em todas as edições da iniciativa. Em vista disso, e de forma experimental, a Comissão decidiu que neste ano de 2018 as menções honrosas serão dadas pelo público em geral por meio de uma votação online durante um período que deverá ser ficar entre os meses maio e junho.

A Agência GBA, parceira da Comissão, que assumiu o processo digital da coleta das inscrições também se comprometeu em organizar a votação para as menções honrosas. A GBA (http://agenciagba.com.br), coordenada por Fer Minelli e Andre Simão, é uma agência que presta serviços na área de comunicação para várias entidades católicas e particularmente a cantores católicos.

Cerimônia de entrega

A festa de entrega dos ganhadores dos prêmios da CNBB será realizada durante o 6º Encontro Nacional da Pascom, em julho de 2018, em Aparecida. Por um período, essa cerimônia foi realizada durante a assembleia geral da CNBB, mas, no ano passado, os bispos decidiram que ficava mais apropriado passar esse evento para os grandes encontros de comunicação da Igreja: o encontro da Pascom e o Muticom. No passado, estes encontros hospedaram a entrega dos prêmios e isso significa que é uma volta ao velhos tempos.

A ocasião em que centenas de agentes de Pastoral da Comunicação estarão reunidos é apropriada para a cerimônia de entrega dos prêmios, segundo P. Rafael: “Talvez seja um bom reencontro entre os comunicadores e a iniciativa dos bispos que os premia pela sua missão. Será um modo de estender a premiação a todos os membros da Igreja que se dedicam nessa área da evangelização“.

 

Share This