Turismo e transformação digital são focos do Dia Mundial do Turismo 2018

Nesta quarta-feira (27), o mundo celebra o Dia Mundial do Turismo, uma das atividades mais importantes nos tempos atuais devido ao crescimento contínuo e que movimenta bilhões ao ano no mundo todo, segundo dados da Organização Mundial de Turismo (OMT).

Foto: Fundação Nazaré

O bispo auxiliar da Arquidiocese de Belém e Referencial da Pastoral do Turismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Irineu Roman, faz uma análise da mensagem que traz este ano a temática: “Turismo e transformação digital”, divulgada pelo Prefeito do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral (DHI), cardeal Peter Turkson, para do Dia Mundial do Turismo.

O texto enfoca os avanços da tecnologia digital, que transformou nossa época e nossos usos e costumes, mudando drasticamente a forma de passarmos o tempo livre, as férias, a mobilidade e o turismo, em todos os seus aspectos.

Leia a mensagem na íntegra:

Brasília – DF, 27 de setembro de 2018

Mensagem para o Dia Mundial do Turismo “Turismo e transformação digital”

1 – Introdução

Sabemos que a prática do turismo é uma das atividades mais importantes nos tempos atuais devido ao crescimento contínuo, envolvendo, sobretudo os aspectos religiosos, de lazer, de férias e por ser um grande fator de desenvolvimento econômico. Dia 27 de setembro comemora-se o “Dia Mundial do Turismo”, em referência a uma das mais importantes atividades econômicas da atualidade, pertencente ao setor terciário da economia. Essa data foi estabelecida pela Organização Mundial do Turismo (OMT) no ano de 1980, logo após a implementação do seu estatuto. Os diferentes tipos de turismo (religioso, rural, ecoturismo, cultural, de aventura, de pesca, etc.) são considerados a partir dos produtos oferecidos pelos territórios e também a partir dos tipos de consumidores (grupos religiosos, adolescentes, jovens, estudantes, adultos, idosos, esportistas, empresários, entre outros). Um local considerado para destino indutor para o turismo costuma oferecer uma gama variada de práticas, ou atividades específicas; espiritualidade ou templos religiosos, tradições; aspectos ou características geográficas, históricas, sociais e arquitetônicas; além de serviços e infra-estrutura em geral para o estabelecimento dos grupos turísticos. Verifica-se que o turismo é uma atividade crescente no mundo e também no Brasil. Nem mesmo as crises econômicas financeiras dos últimos tempos tiveram impacto sobre o turismo; pelo contrário, continuou uma espiral de crescimento em todos os aspectos. Embora o percentual do turismo na América do Sul, que inclui o Brasil, seja de apenas 2,52% do turismo mundial, as previsões é que o setor cresça acima da média mundial ao longo das próximas décadas, particularmente no que tange ao turismo religioso.

2 – Turismo e transformação digital

Este é o tema da mensagem que o Cardeal Peter Turkson, Prefeito do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral (DHI), divulgou para o dia Mundial do Turismo. A temática deste ano “Turismo e transformação digital” enfocam os avanços da tecnologia digital, que transformou nossa época e nossos usos e costumes, mudando drasticamente a forma de passarmos o tempo livre, as férias, a mobilidade e o turismo, em todos os seus aspectos. Conforme o pronunciamento do Cardeal Turkson, houve muitas mudanças decorrentes da implementação das novas tecnologias digitais, em relação à vida social das pessoas e à maneira de conceber relações interpessoais, trabalho, saúde, comunicação. Assim aumentou a “conexão”, a partilha de informações, permitindo expressar a variedade de riquezas de idéias, de opiniões e visão de mundo. Diz o Cardeal Peter Turkson, que esta celebração nos convida a refletir sobre a contribuição dos avanços tecnológicos, não só para melhorar os produtos e serviços turísticos, mas também porque estão inseridos no caminho do desenvolvimento sustentável e responsável. Essa inovação digital visa promover a inclusão, o envolvimento das pessoas e das comunidades locais e alcançar uma gestão inteligente e equilibrada dos recursos. A necessidade da “sustentabilidade turística” não deve ser subestimada. A Igreja, por sua vez, sempre prestou atenção especial à Pastoral do Turismo, ao lazer e às férias, como oportunidade de recuperar e fortalecer os laços familiares e interpessoais, restaurar o espírito e desfrutar das extraordinárias belezas da criação para crescer na “humanidade integral”. Na Mensagem, o Cardeal nos lembra que o turismo é um veículo efetivo de valores e ideais quando oferece oportunidades para o crescimento da pessoa humana, tanto na dimensão transcendente, em relação a Deus, como na dimensão terrena, no encontro com o homem, com outras pessoas e o contato com a natureza. O uso de instrumentos digitais no setor de turismo é uma grande oportunidade para se tender ao progresso e ao aumento da segurança, utilidade, bem-estar, força vital, plenitude de valores. Porém, o Cardeal Turkson, em sua Mensagem, lembra que quando os instrumentos tecnológicos “se tornam onipresentes, não favorecem o desenvolvimento da capacidade de viver com sabedoria, de pensar profundamente e de amar com generosidade”. O Cardeal, em sua mensagem, ainda dirige um pensamento particular aos jovens das novas e futuras gerações, que constituem uma maioria no uso digital. Lembra que no documento em preparação ao Sínodo dos Bispos sobre os Jovens, há uma referência para a necessidade de oferecer à juventude cursos de formação e educação antropológica, para que possam viver a “era digital” sem ser enganados pelo mundo virtual, que distorce a percepção da realidade e causa perda da identidade da pessoa.

3 – Conclusões

O Cardeal Peter Turkson conclui sua Mensagem para o dia Mundial do Turismo afirmando que “o turismo contribui para glorificar a Deus, valorizar a dignidade humana, o conhecimento mútuo, a fraternidade espiritual e a renovação do corpo e da alma”. Na verdade, a internet, em todos os seus aspectos, nos permitiu fazer um progresso impressionante nos dias atuais: é uma ferramenta que oferece liberdade, conhecimento, comunicação e material para reflexão. Uma condição para recuperar nosso poder e dominar a ferramenta, é usá-la de forma razoável e acessá-la puramente por necessidade. Para finalizar recordo as palavras do Papa Francisco na Exortação Apostólica “Gaudete et Exsultate”, nº 167: “Hoje em dia, tornou-se particularmente necessária a capacidade de discernimento, porque a vida atual oferece enormes possibilidades de ação e distração, sendo-nos apresentadas pelo mundo como se fossem todas válidas e boas. Todos, mas especialmente os jovens, estão sujeitos a um “zapping” constante. É possível navegar simultaneamente em dois ou três visores e interagir ao mesmo tempo em diferentes cenários virtuais. Sem a sapiência do discernimento, podemos facilmente transformar-nos em marionetes à mercê das tendências da ocasião”.

Share This