Um mundo com Deus

Você pode imaginar um mundo sem Deus?  Onde o final da existência é a morte e nada mais? Bem melhor é viver no mundo onde Jesus oferece a ressurreição e uma vida eterna na qual um dia Deus será tudo em todos. Esta boa nova os cristãos anunciamos em nome do cristianismo (1 Cor 15, 28).

Hoje tudo é instantâneo, rápido, sem grande preocupação pelos valores da tradição. Neste turbilhão muitos valores caem no esquecimento. O consumismo e a busca de facilidades substituem a herança histórica. A aparência é salva, os aplausos são indispensáveis, a religião vira espetáculo!

O discípulo de Cristo é convidado a anunciar Jesus Cristo, morto e ressuscitado por nós. Vem a propósito a advertência de Bento XVI: “Sem Cristo não há luz, não há esperança, não há amor, não há futuro” (DA, 146).

Nem nos faltam as tentações de sempre: A inveja mobiliza as forças negativas!

O apego ao dinheiro, que levou Judas a entregar o Mestre por 30 denários, paralisa pessoas de bem no seu testemunho.

A ira azeda o coração e o cotidiano de cristãos desatentos e os leva à vingança.

A soberba é arrogante, presunçosa e busca o poder, o comando, perdendo de vista o serviço ao bem comum.

A maledicência e o ódio matam o próximo, destroem a boa fama, “em nome da verdade”, como dizem!

Jesus oferece o perdão. O perdão, recebido ou dado, libera as energias interiores e deixa fluir as intuições arcanas. A capacidade de construir e reconstruir um mundo de paz, de primado do amor.

A Palavra de Deus, lida e meditada, atrai a pessoa a buscar a vontade de Deus. Os sacramentos da Igreja tendo como ápice a Eucaristia, são antídotos aos vícios.

Uma vida com Deus, amado e seguido por amor, deixa o cristão seguro e feliz. E o torna testemunha do Evangelho de Jesus.

Dom Aloísio Sinésio Bohn

Artigos similares

Cristão Leigos

22/11/2017

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This