40 anos de teologia da PUC

Já ouvi muitas pessoas se queixarem de que nossos padres têm insuficiente formação doutrinal para o diálogo com o mundo pluralista atual. Também já ouvi elogios. Mas não me lembro de alguém que perguntasse onde e em qual escola nossos padres são formados.

Pois os padres da Diocese de Santa Cruz do Sul recebem a formação teológica na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Especificamente na Faculdade de Teologia (FATEO) reconhecida pelo MEC (Ministério da Educação).

Isto nem sempre foi assim. Até 1968 toda a formação intelectual, espiritual, humana e pastoral era ministrada dentro do seminário. Por influência do Concílio Ecumênico Vaticano II, que abriu a Igreja para o diálogo com o mundo moderno, inclusive com as outras Igrejas e grandes religiões, sentiu-se a necessidade de oferecer aos seminaristas um ambiente cultural mais amplo. Este é o espaço da Universidade.

O Papa João Paulo II chamou a atenção sobre a influência do ambiente na formação: “O ambiente cultural em que vive o homem exerce uma grande influência no seu modo de pensar e, consequëntemente, na sua maneira de agir”.

Por isso, em 1968, o episcopado gaúcho solicitou à PUCRS a criação de um Instituto de Teologia e Ciências Religiosas. A Direção da PUC aceitou o pedido.

Dia 25 de março de 2009 celebramos o jubileu de 40 anos daquele Instituto, que hoje é uma Faculdade de Teologia, reconhecida por Roma e pelo Ministério da Educação. Forma nossos padres e a nova geração de bispos. É uma verdadeira bênção para a Igreja gaúcha.

Para quem duvida da conveniência do ambiente universitário, respondo com o Cardeal Henry Newman: A Igreja tem “a convicção de que a verdade é a sua verdadeira aliada e de que o conhecimento e a razão são ministros fiéis da fé” (The Idea of a University).

Resta agradecer a Deus a inspiração da Faculdade de Teologia. Agradecer à Direção da PUC e aos mestres da Faculdade o bom nível de nossa escola de teologia. E aos alunos augurar dedicação, a fim de serem capazes de impregnar a cultura atual com os modos de pensar, os critérios de julgar e as normas de agir segundo o Evangelho.

Dom Aloísio Sinésio Bohn

Tags:

leia também