Comissão realiza reunião com diretoria executiva do Instituto de Pastoral Vocacional (IPV)

Tendo em vista a proximidade do encerramento do Ano Vocacional, no último domingo de novembro, a Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) tem se articulado para pensar a animação vocacional em vista de disseminar, cada vez mais, a cultura vocacional nas comunidades, paróquias, regionais.

Nesse contexto, nessa segunda-feira, 18 de setembro, os assessores da Comissão, padre Guilherme Maia Jr. e a irmã Maristela Ganassini, realizaram uma reunião com a diretora executiva do Instituto de Pastoral Vocacional (IPV), a leiga consagrada Diane Galdino, com o objetivo de fortalecer a articulação da formação vocacional em diferentes lugares do Brasil.

Segundo o padre Guilherme Maia Jr, a proposta é que a Comissão em parceria com a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) e o Instituto de Pastoral Vocacional (IPV) possa fazer chegar como projeto do quadriênio (2023-2027) a formação vocacional nos lugares mais distantes do Brasil e que ainda não têm uma formação adequada.

“Tudo isso em vista de criar nos nossos ambientes da ação evangelizadora a cultura vocacional que nos pede a Igreja e que é um dos objetivos deste Ano Vocacional e com um toque de comunhão e sinodalidade com essa parceria entre CNBB, CRB e o Instituto de Pastoral Vocacional”, complementou.

Irmã Maristela Ganassini, que também é representante do Serviço de Animação Vocacional da Conferência dos Religiosos do Brasil, ressaltou o interesse de levar para as bases a escola vocacional que o IPV já oferece para as lideranças, para aqueles que estão no dia a dia, na missão, em todas as dioceses.

Diane Galdino, diretora do IPV, explicou que as escolas vocacionais acontecem de duas formas: online e presencial. Na versão online são quatro meses de formação e dentro da perspectiva da animação vocacional, do acompanhamento vocacional, com vários assessores.

“A formação conta com material formativo, bem atualizado, para preparar os animadores vocacionais sejam eles religiosos, das dioceses, dos institutos seculares, em busca dessa igreja não só sinodal, mas vocacionalizada”, disse Diane.

Ela também salientou a vontade de dar continuidade na parceria, na perspectiva da animação vocacional, junto à CNBB e à CRB. “Estamos caminhando já há algum tempo com essa parceria das escolas vocacionais e agora a nossa proposta é ampliar a tenda com novos projetos para esse quadriênio”, disse.

Para ela, o grande desafio é fazer as escolas vocacionais presenciais nos regionais. “Esse é um grande desafio que faz brilhar os olhos da Comissão, do IPV e também da CRB, que juntos em comunhão e partilha vamos tentar fazer essa vivência, cumprir esse projeto sonhado”, finaliza.

 

Tags:

leia também