CPT recebe Prêmio Amatra 8 de Direitos Humanos por projeto de combate a escravidão

A Comissão Pastoral da Terra Pará, integrada à Campanha Nacional da CPT “De olho aberto para não virar escravo”, foi ganhadora do prêmio Amatra 8 de Direitos Humanos Pe. Bruno Sechi, na categoria combate ao trabalho análogo à escravidão. A iniciativa premiada foi o projeto Raice – Rede de Ação Integrada para Combater a Escravidão, realizada pela equipe de Tucuruí.

O Raice é desenvolvido nos municípios de Tucuruí e Itupiranga, e alia mobilização comunitária à formação de redes municipais de combate à escravidão compostas por agentes públicos e sociedade civil. Por meio dele, a CPT realiza o acompanhamento de grupos e comunidades vulneráveis ao risco de aliciamento, apoiando o fortalecimento dos vínculos comunitários e familiares e a construção de alternativas coletivas de produção e de acesso a trabalho e terra, visando à vida digna e ao bem viver. O Raice também é desenvolvido nos Estados do Maranhão e no Tocantins.

“Este prêmio não é apenas da CPT, ele é todos aqueles/as que acreditam que a mudança só é possível quando abraçamos com “paixão, seriedade e determinação uma causa”. No livro, Apaixonado por justiça, que conta algumas das histórias e sonhos de frei Henri Burin des Roziers, ele partilha conosco alguns desses sonhos. “Eu sonho que os trabalhadores rurais que sofrem nas grandes explorações madeireiras, desmatando e clareando, perdidos no meio da floresta amazônica, sejam tratados como seres humanos e não como escravos […].”

“A CPT não é caneca e nem água, é a vontade de beber”. Nesta vontade de beber por direitos, queremos neste dia, rendermos nossa gratidão aos parceiros nessa trajetória de combate a escravidão”, destaca Francisco Alan, membro da coordenação colegiada da CPT-PA.

Durante a premiação estiveram presentes outros integrantes que compõem a RAICE do município de Itupiranga, como a Secretária de Assistência Social e a diretoria de proteção Social Básica, além da representação do grupo de mulheres “fazendo arte” acompanhado pela RAICE na região.

O Prêmio Amatra 8 de Direitos Humanos – Padre Bruno Sechi – Edição 2023 premia pessoas, coletivos e iniciativas cujas ações se destaquem em razão da promoção e defesa dos direitos humanos nas relações de trabalho, no Estado do Pará.

Tags:

leia também