A experiência da Igreja no Brasil no enfrentamento ao uso de drogas e na recuperação de dependentes químicos

A Igreja Católica tem compromisso com a superação da dependência química e recuperação dos vínculos familiares e sociais de pessoas que tem envolvimento com drogas. Esse compromisso é realizado no acolhimento, no cuidado e na oferta de oportunidade de vida nova através da espiritualidade, do trabalho e da vida de comunidade. Iniciativas como a Pastoral da Sobriedade, as Fazendas da Esperança e a Missão Belém são exemplos dessas ações de caridade.  

Ao entender a dependência e o envolvimento com drogas como fatores geradores da violência social e o consumo e o tráfico como causa da maioria dos atentados contra a vida, a Igreja busca ofertar, por meio do anúncio do Evangelho, uma nova perspectiva de vida para quem ficou preso na dependência.

Pastoral da Sobriedade 

Aprovada pelos bispos do Brasil durante a 36ª Assembleia Geral da CNBB, em 1998, foi criada para atuar em cinco frentes: prevenção, intervenção, reinserção familiar e social e atuação política. 

Dependentes químicos e também seus familiares são alcançados pelo trabalho. A metodologia do Grupo de Autoajuda possibilita vivenciar os 12 passos da Pastoral da Sobriedade, “fundamentados e baseados no Evangelho e na doutrina da Igreja”.  

“Somos uma ação pastoral conjunta que busca a integração entre todas as Pastorais, Movimentos, Comunidades Terapêuticas Parceiras, Casas de Recuperação para, através da pedagogia de Jesus-Libertador, resgatar e reinserir os excluídos, propondo uma mudança de vida através da conversão”, afirma a Pastoral da Sobriedade em sua apresentação. 

A Pastoral da Sobriedade foi motivada, incentivada e acompanhada por vários anos pelo bispo emérito de Lins (SP), dom Irineu Danelon. Atualmente, o bispo referencial é dom Nélio Domingos Zortea, bispo de Cruz Alta (RS).

Conheça mais sobre o trabalho da Pastoral da Sobriedade. 

 

Fazenda da esperança  

Nascida no contexto da Obra Social Nossa Senhora da Glória, em Guaratinguetá (SP), a Fazenda da Esperança é uma comunidade terapêutica criada em 1983. Suas principais atividades são a prevenção ao uso de drogas, o atendimento aos dependentes químicos e a reinserção social, fortalecendo os vínculos familiares dos acolhidos.  

O trabalho de acolhimento é baseado na espiritualidade, trabalho e convivência. E em 2020, atendeu 8397 pessoas nas 102 fazendas espalhadas pelo país.  

Conheça mais o trabalho da Fazenda da Esperança

 

Missão Belém 

Fundada em 2005, a Missão Belém é uma associação de fiéis localizada na arquidiocese de São Paulo (SP) que nasceu com o objetivo de reviver o mistério de Belém: “Jesus que nasce pobre no meio dos pobres, numa mísera gruta, acolhido com carinho por Maria e José”. 

Mais de 80 mil pessoas foram acolhidas e grande parte se deve aos próprios ex-irmãos de rua restaurados e que se tornaram missionários. Hoje, a Missão abriga 2,3 mil pessoas acolhidas em suas casas, 600 das quais são doentes crônicos. 

A Missão Belém é também responsável pelo Projeto Vida Nova, inaugurado em 2018, como gesto concreto da arquidiocese de São Paulo no Jubileu Extraordinário da Misericórdia. No Edifício Nazaré, na Praça da Sé, pessoas que desejam deixar as ruas ou a dependência química recebem a primeira acolhida até serem encaminhadas a uma das casas da associação. 

 

Campanha da Fraternidade

Em 2001, a CNBB abordou o tema das drogas na Campanha da Fraternidade, com o tema “Fraternidade e as Drogas”. Visite o hotsite e recorde essa edição. Clique aqui. 

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2001

 

Leia também

FRENTE A EMINENTE VOTAÇÃO NO STF, CNBB REITERA SUA POSIÇÃO CONTRÁRIA À DESCRIMINALIZAÇÃO DO USO DE DROGAS

 

 

SOBRIEDADE E PAZ – artigo de Dom Fernando Rifan

 

 

Foto de capa: Rita Laura/Cathopic

Tags:

leia também