Grupo de Assessores avança na integração em vista da sinodalidade e da missão evangelizadora da Igreja no Brasil

O Grupo de Assessores (GA) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) reuniu-se na quinta-feira, 21 de setembro, na sede da entidade em Brasília (DF), com parte do grupo participando presencialmente e parte remota.

O bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da CNBB, dom Ricardo Hoepers, participou do início da reunião e reforçou a mensagem sobre a necessidade de avançar sempre mais para um trabalho articulado entre as Comissões em vista de um serviço mais integrado à Igreja.

Promoção da integração e articulação no GA

Padre Jânison de Sá coordenando a reunião do GA. | Fotos: Willian Bonfim – Ascom CNBB.

De acordo com o coordenador da reunião, o subsecretário adjunto de Pastoral da CNBB, padre Jânison de Sá,  a reunião insere-se no desejo de promover uma melhor articulação entre o grupo de assessores da CNBB para realizar um trabalho, sempre mais em conjunto.

“Estamos fazendo um esforço para que cada comissão conheça o trabalho das outras comissões, num projeto articulado da ação evangelizadora da Igreja no Brasil”, disse.

Como exemplo desta integração, padre Jânison citou a organização do Mês da Bíblia 2024. “Não é simplesmente uma comissão que elabora, mas que apresenta o texto aqui no GA, colhe sugestões das outras comissões para enriquecer o texto e o material”, disse.

Campanha para Evangelização 2023

Na mesma perspectiva integradora da visão do trabalho pastoral de conjunto na CNBB, padre Jânison reforçou que foram trabalhados os temas da tradução da terceira edição típica do Missal Romano e a organização da Campanha para a Evangelização, a ser realizada no período do Advento, campanha que, segundo ele, interessa a todas as comissões episcopais da CNBB.

O subsecretário adjunto de Pastoral da CNBB disse ainda que este mesmo esforço de integração está sendo feito na construção do 24º Plano de Pastoral, tarefa que está sendo consolidada no âmbito de cada comissão. “Estamos buscando conhecer o que as comissões fazem para propor um plano de pastoral que chegue, cada vez mais, às realidades em vista de uma evangelização sempre mais eficaz”, reforçou.

Padre Jânison destacou ainda o perfil do novo grupo de assessores da CNBB. “Temos um novo grupo de assessores. São competentes, dedicados, abertos a trabalhar juntos e dispostos a conhecer melhor a organização da Igreja no Brasil para poder atuar melhor. Refletimos, rezamos e discutimos juntos em vista de um trabalho mais articulado e sinodal”, disse.

Espaço sinodal de aprendizado

“Esse momento da reunião do Grupo de Assessores é essencial para que nós  nos conheçamos e conheçamos também os outros trabalhos que estão sendo desenvolvidos pelas outras comissões, o que nos permite a pensar  como um só corpo. Essas reuniões são um  momento de formação e unidade porque é mais do que a minha comissão, mas as nossas comissões trabalhando pela Igreja no Brasil e em sinodalidade. Para mim está sendo um momento muito rico e de muita aprendizagem e trocas”, apontou a assessora da Comissão Episcopal para Ação Missionária e Cooperação Intereclesial, irmã Eliane Santana.

Integração, unidade e comunhão

“Essa reunião é uma continuidade do que refletimos no Conselho Episcopal Pastoral (Consep). Os bispos, presidentes das Comissões vêm, se reúnem e discutem os vários assuntos. No dia seguinte, nos encontramos como Grupo de Assessores. Nesta reunião, fazemos um desdobramento da reunião do Consep no que compete a nós refletirmos, avaliarmos, escutarmos e tirarmos os encaminhamentos. No momento, buscamos também a unidade. Partilhamos as experiências de cada comissão, o que se está fazendo, trabalhando, elaborando e pensado para o futuro. É um momento de integração também, conseguimos estar mais próximos. A reunião também promove um comunhão porque permite ao grupo entender as parcerias e colaborações entre as comissões, cada um cuidando da sua parte, mas também formando um todo. É isto o que caracteriza profundamente o Grupo de Assessores da CNBB”, destacou o assessor da Comissão Episcopal para a Animação Animação Bíblico-Catequética, padre Wagner Carvalho.

Tags:

leia também