Papa Francisco aceita renúncia de dom Egídio Bisol e nomeia dom Limacêdo Antonio como bispo para Afogados da Ingazeira

O Papa Francisco acolheu na manhã desta quarta-feira, 25 de outubro, o pedido de renúncia do ofício apresentado por dom Egídio Bisol, em razão de ter completado 75 anos, conforme previsto no Cân. 401-§ 1, do direito Canônico. Dom Egídio completou 75 anos em 23 de dezembro de 2022. No mesmo ato, o Santo Padre nomeou o bispo auxiliar da arquidiocese de Olinda e Recife, dom Limacêdo Antonio da Silva, como o quinto bispo para a diocese de Afogados da Ingazeira (PE).

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) enviou saudação a dom Limacêdo e agradecimento a dom Egídio Bisol pelos 47 anos dedicados à Igreja no Brasil, especialmente os quais esteve conduzindo pastoralmente a diocese pernambucana de Afogados de Ingazeira.

Saudação a Dom Limacêdo Antonio da Silva

 

Estimado irmão,

Recebemos com alegria a notícia de sua nomeação como quinto bispo para a diocese de Afogados da Ingazeira, no sertão Pernambuco. Partilhamos do júbilo do Povo de Deus que vive no território daquela Igreja Particular e também no regional Nordeste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em contar com o seu pastoreio.

Aproveitamos também a ocasião para expressar nossa gratidão pelo tempo em que exerceu o seu ministério como bispo auxiliar da arquidiocese de Olinda e Recife (PE) e também por sua colaboração como membro da Comissão para Ação Sociotransformadora da CNBB.

Ao saudá-lo, recordamos a vida do primeiro santo brasileiro elevado aos altares, Santo Antônio Sant’ana Galvão, mais conhecido como Frei Galvão, um santo que é lembrado na liturgia da Igreja no dia de hoje. Frei Galvão é um daqueles discípulos fiéis devotos que nos ajudam a recordar, em tempos de superficialidade da vivência da fé, o que significa ser verdadeiramente um consagrado à Igreja e à Maria Imaculada.

Rogamos a Deus que o ilumine no seu ministério episcopal e seja sempre mais fortalecido na missão de levar adiante o perfume e alegria do Evangelho e de ser um instrumento de edificação de uma Igreja cada vez mais sinodal.

Santo Antônio Sant’ana Galvão o acompanhe nessa nova etapa.

Em Cristo,

Dom Jaime Spengler
Arcebispo de Porto Alegre (RS)
Presidente da CNBB

Dom João Justino de Medeiros da Silva
Arcebispo de Goiânia (GO)
1º Vice- Presidente da CNBB

Dom Paulo Jackson Nóbrega de Sousa
Arcebispo de Olinda e Recife (PE)
2º Vice-Presidente da CNBB

Dom Ricardo Hoepers
Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Brasília (DF)
Secretário-Geral da CNBB

 

Currículo e trajetória eclesial

Dom Limacêdo Antônio da Silva nasceu no dia 29 de setembro de 1960, em Nazaré da Mata, zona da mata pernambucana. Estudou Filosofia no Instituto Filosófico Estrela Missionária, em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, e Teologia na Escola Teológica São Bento de Olinda, em Olinda. Foi ordenado presbítero no dia 12 de dezembro de 1986, em Limoeiro (PE) e exerceu seu ministério sacerdotal na diocese de Nazaré da Mata.

Possui mestrado em Dogmática na Universidade Pontifícia Gregoriana em Roma, na Itália (2001-2003), e doutorado em Dogmática pela Universidade Pontifícia Gregoriana em Roma (2004-2007). Sua tese de dissertação foi: “Inculturação e Missão da Igreja no Brasil: Teologia e práxis a partir das Diretrizes Gerais da CNBB”.

Enquanto sacerdote, dom Limacêdo exerceu atividades na paróquia de Nossa Senhora da Apresentação em Limoeiro (PE). Como vigário paroquial, foi assessor da Juventude do Meio Popular, assessor da Infância Missionária e das Comunidades Eclesiais de Base (CEB’S). Foi pároco da paróquia de São Sebastião, em Machados (PE), coordenador diocesano de Pastoral, assessor do COMIRE NE-II e membro do Conselho Pastoral.

Em 2008, o então sacerdote auxiliou a paróquia do Divino Espírito Santo, na cidade de Paudalho e foi nomeado Assessor Pastoral dos Catadores de material reciclável. Dom Limacêdo foi professor de Eclesiologia no Seminário de Olinda e no ITEC, onde lecionou também sobre Missiologia, Penitência e Unção dos Enfermos. Recentemente, foi pároco da paróquia de Nossa Senhora do Rosário, em Goiana, e pároco da paróquia de Nossa Senhora das Dores, em Aliança.

Em 4 de abril de 2018, foi nomeado pelo Papa Francisco como auxiliar da Arquidiocese de Olinda e Recife, tendo sido ordenado bispo em 10 de junho do mesmo ano, em Nazaré da Mata (PE). Seu lema episcopal é: “Verbum carum factum est”, (O verbo de Deus se fez carne).

Atualmente, é membro da Comissão Episcopal para Ação Sociotransformadora da CNBB.

Agradecimento a Dom Egídio Bisol

 

Estimado irmão, Dom Egígio Bisol,

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) manifesta gratidão pelo seu ministério episcopal e, sobretudo, pelos 47 anos de sua vida dedicados como missionário na região nordeste do país.

Que nesta nova fase de seu ministério, o irmão que cumpriu o mandato do Senhor de “Ide, pois, fazei discípulos de todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinando-as a cumprir tudo quanto vos prescrevi” (Mt. 28, 19-20), possa ser plenamente feliz na certeza de que serviu como instrumento para que a missão da Igreja se tornasse atual e plenamente presente a todos para os conduzir à fé, liberdade e paz de Cristo, não só pelo exemplo de sua vida, mas também pelos sacramentos.

Que o irmão continue servindo com sabedoria e plena consciência de que a emeritude é um momento novo e rico para sua missão não Igreja. Rogamos a Santo Antônio Sant’ana Galvão que interceda a Deus por sua vida.

Em Cristo,

Dom Jaime Spengler
Arcebispo de Porto Alegre (RS)
Presidente da CNBB

Dom João Justino de Medeiros da Silva
Arcebispo de Goiânia (GO)
1º Vice- Presidente da CNBB

Dom Paulo Jackson Nóbrega de Sousa
Arcebispo de Olinda e Recife (PE)
2º Vice-Presidente da CNBB

Dom Ricardo Hoepers
Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Brasília (DF)
Secretário-Geral da CNBB

Currículo e trajetória eclesial

Dom Egídio Bisol nasceu em 23 de dezembro de 1947, em Bassano del Grappa, na Itália. Foi ordenado presbítero em 31 de maio de 1972. Em 1976, aos 28 anos, após exercer a função de vigário paroquial na Itália, deixou seu país e mudou-se como padre missionário para a diocese de Afogados da Ingazeira, sendo acolhido pelo então bispo diocesano dom Francisco Austregésilo de Mesquita Filho.

Nesse mesmo ano foi nomeado pároco de São José do Egito. Além das atividades paroquiais, assumiu a coordenação diocesana da Pastoral da Juventude (1979 – 1986) e integrou a equipe de formadores do Seminário Regional Nordeste 2 da CNBB (Pernambuco, Rio Grande do Norte, Alagoas e Paraíba], em Recife (1987-1989).

Já em 1990, Bisol cursou as especializações em Liturgia e de Arte Sacra e Espaço Litúrgico em 2004, na Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo.

Em 7 de outubro de 2009, foi nomeado bispo pelo então Papa Bento XVI como quarto bispo da diocese de Afogados da Ingazeira. A ordenação e posse se deram em 9 de janeiro de 2010. O bispo adotou como lema episcopal: “Sicut qui ministrat”, “Estou entre vós como Servo”.

Tags:

leia também