Processo da 6ª Social Brasileira se conclui e produz documento com resumo das propostas sistematizadas ao longo de 4 anos

No encerramento da 6ª Semana Social Brasileira (SSB) em Brasília–DF, de 20 a 22 de março de 2024, com o tema “Mutirão pela Vida, por Terra, Teto e Trabalho”, os 150 participantes apresentaram uma mensagem que resume as ações realizadas de 2020 a 2024, durante diversas atividades ao longo desse período.

O documento sistematiza o diagnóstico do Brasil vivenciados em todas as regiões, com relatos sobre como se manifestam onde manifestam nos territórios (Terra), na esfera urbana (Teto) e no mundo laboral (Trabalho) e denuncia a economia “que exclui, degrada e mata”.

Neste sentido, a 6ª SSB reafirmou “a participação popular ativa e a democratização do Estado”, a partir da força dos movimentos e organizações populares. Só isto, aponta o documento, é capaz de gerar resistência “ao modelo imposto pelo capital e construindo um projeto popular para o Brasil que queremos e o bem viver dos povos”.

A mensagem recolhe o resultado do trabalho dos grupos e aponta a preocupação com a agenda internacional, em algumas das quais o Brasil está  à frente, como o G-20, Cop-30, Brics que acontecerão ao longo de 2024 e 2025.

Como caminho, a 6ª SSB propõe: “fortalecer e incidir para criação de mecanismos e participação popular”, como Peregrinos da Esperança, que conclamam “a todas as pessoas de boa vontade e suas organizações para desenvolver o projeto popular para o Brasil, fruto da escuta e participação no processo da 6ª Semana Social Brasileira”.

Conheça o documento na íntegra: Mensagem do Mutirão Nacional da 6ª Semana Social Brasileira

 

Tags:

leia também