Dom Eurico dos Santos Veloso
Arcebispo Emérito de Juiz de Fora (MG) 

 

 

Neste dia 15 de setembro, nos reunimos para refletir sobre a profunda devoção a Nossa Senhora das Dores, uma devoção que nos une à Virgem Maria de maneira especial em seus momentos de sofrimento e aflição. A imagem da Virgem Maria ao pé da Cruz, compartilhando as dores de seu Filho Jesus, nos lembra da realidade das dificuldades e dores em nossas próprias vidas, mas também nos oferece um exemplo de fortaleza, fé e esperança. 

A passagem do Evangelho de Lucas nos oferece um vislumbre da profecia sobre Maria: “E uma espada transpassará a tua própria alma, para que se revelem os pensamentos de muitos corações” (Lucas 2,35). Aqui, Simeão prevê as dores que Maria enfrentaria ao longo de sua jornada como mãe de Jesus. Maria, desde o início, soube que sua missão divina estava intimamente ligada à dor e ao sacrifício. 

Contudo, as dores de Maria não foram apenas físicas, mas também emocionais e espirituais. No momento da Anunciação, ela abraçou humildemente o chamado de Deus, mas isso veio com a preocupação pelas incertezas que enfrentaria. Ao fugir para o Egito para proteger o menino Jesus, Maria compartilhou a ansiedade de uma mãe preocupada com o destino de seu filho. 

Maria, a Mãe de Jesus, carregou a Cruz da dor de maneira única. Ela sabia que seu Filho tinha uma missão divina. Ao longo de sua vida, Maria testemunhou as alegrias e os desafios da maternidade, mas foi na base da Cruz que ela experimentou uma dor incomparável. A crucificação de Jesus foi uma experiência que nenhum pai ou mãe deveria passar, mas Maria permaneceu firme, compartilhando em silêncio as dores do seu Filho e da humanidade. 

Nossa Senhora das Dores nos ensina a importância de encontrar consolo em meio às nossas próprias dores e dificuldades. Ela nos mostra que, mesmo quando a vida nos traz sofrimento, não estamos sozinhos. Assim como Maria permaneceu ao lado de Jesus na Cruz, também podemos confiar que ela está conosco em nossos momentos de aflição. Ela entende nossas lágrimas, nossas preocupações e nossos medos, e nos oferece seu amor materno e intercessão junto a Deus. 

A devoção a Nossa Senhora das Dores nos convida a olhar para o exemplo de Maria e a encontrar significado em nosso próprio sofrimento. Assim como a Cruz de Jesus se transformou em um símbolo de salvação, nossas cruzes e dores podem ser fontes de transformação espiritual. Ao unir nossos sofrimentos aos de Cristo, temos a oportunidade de crescer em fé, empatia e compaixão. 

Além disso, a devoção a Nossa Senhora das Dores nos lembra que não estamos limitados à dor, mas que a esperança pode nascer mesmo nas situações mais difíceis. Maria experimentou a alegria da ressurreição de seu Filho, e essa mesma esperança nos é oferecida. Quando confiamos em Deus, mesmo em meio ao sofrimento, sabemos que Ele é capaz de transformar nossa dor em alegria e nossa tristeza em esperança. 

Queridos irmãos e irmãs, ao contemplarmos Nossa Senhora das Dores, somos convidados a trazer nossas próprias dores diante de Deus, confiantes de que Ele está sempre conosco. Maria nos ensina a encontrar consolo, força e esperança na presença amorosa de Deus, mesmo quando a vida nos desafia. Que possamos seguir o exemplo de Nossa Senhora das Dores, encontrando significado em nossas dores e permitindo que elas nos aproximem do coração de Deus. 

Que Nossa Senhora das Dores interceda por nós, para que possamos enfrentar nossos desafios com fé e coragem, sabendo que Deus é nosso refúgio e nossa fortaleza. 

Saudações em Cristo! 

 

 

 

 

Tags:

leia também